O Mestre Mandou no Mestre Amaral

Divulgação
Divulgação

O Espaço Cultural Tambor de Crioula de Mestre Amaral tem se configurado num dos lugares pulsantes e interessantes da cidade, por diversos aspectos, dos quais destaco a reinvenção do espaço público, pela ocupação de um imóvel abandonado, no centro da cidade, com atividades culturais. São Luís precisa de mais Mestres Amarais.

Nesta sexta (8, a partir das 19h) e sábado (9, de 16h em diante) acontece o brechó O Mestre Mandou, ocasião em que armários e coleções de discos poderão ser renovados. Obviamente com trilha sonora: além da tradicional roda com o tambor de crioula do mestre que batiza o espaço, haverá apresentações do Maracatuque Upaon Açu e de Tiago Máci, acompanhado da dupla Ambos com Voz. A organização do evento intenta realizá-lo mensalmente.

Sebo no Chão, som na caixa!

Acervo Sebo no Chão. Divulgação
Acervo Sebo no Chão. Divulgação

Estive uns poucos domingos no Movimento Sebo no Chão, capitaneado pelo estudante Diego Pires, que fim de semana após fim de semana, tem ocupado a praça defronte à Igreja Católica do Cohatrac.

Louvo a iniciativa principalmente por duas características suas: a gratuidade e a descentralização, já que quase tudo em São Luís acontece na região central da capital.

Mais que moda passageira, como tanto vemos por aqui, o Sebo no Chão caracterizou-se como um importante espaço de vivência cultural. O nome do evento remonta ao início, quando simplesmente Diego começou a vender livros na calçada, ao que depois agregou shows musicais, teatro, cinema, gastronomia, brechó, literatura etc.

Muitos artistas já passaram pelo espaço, que agora quer melhorar a estrutura que oferece ao público presente, parte dele já cativo, outra formada de frequentadores ocasionais – caso deste blogueiro.

O Sebo no Chão está com uma campanha de financiamento coletivo no site Catarse, visando adquirir o equipamento de som necessário para a realização dos shows. Mais detalhes no link.

Há algum tempo, no Vias de Fato, o perro borracho Igor de Sousa, publicou um texto sobre o acontecimento dominical. Continue Lendo “Sebo no Chão, som na caixa!”

Bom, bonito e barato: brechó

Roupas, acessórios, sapatos, artesanato, e o mais importante: vinis e livros. De tudo um pouco se pode comprar no Brechó no Olho da Rua, que tem mais uma edição amanhã (12), das 16h às 22h, na Praça Valdelino Cécio (Praia Grande).

Haverá ainda oficinas de balão e mágica, com o mágico argentino Agustin, avisa a jornalistamiga Giselle Bossard, produtora do evento que, após dois anos, com edições aqui e acolá, volta a seu palco original.