Vereda afetiva

Caipira. Capa. Reprodução

Em um vídeo de divulgação de seu novo disco, Mônica Salmaso afirma não se tratar de uma dissertação de mestrado sobre a música caipira ou coisa que o valha. “Sou tabaréu, sou capiau, sou caipira”, anuncia o verso inicial da faixa-título (Breno Ruiz/ Paulo César Pinheiro), que abre Caipira [Biscoito Fino, 2017, R$ 33,90] – com citação de A lenda do caboclo (Heitor Villa-Lobos), mas engana-se quem pensa que o tema é tratado ali como o é em geral: como sinônimo de atrasado ou subdesenvolvido.

Graças à tecnologia as barreiras entre urbano e rural estão cada vez mais diluídas. É claro que o chapéu de palha que a cantora usa na capa do disco, o jarro com flores em uma bancada na capa do encarte e bordados em suas páginas evocam um Brasil interiorano, remetendo a certo bucolismo, ou, como ela canta em Minha vida (Vieira/ Carreirinho): “eu trago na lembrança quando era criança/ morava na roça e gostava da troça/ do munjolo d’água, da casa de tábua” – a música é cerzida apenas pela sanfona de Toninho Ferragutti e pela viola caipira de Neymar Dias, craque do instrumento, com ele capaz de mais lances geniais que seu xará em campo.

O repertório de Caipira é afetivo. Estão lá grandes mestres da música caipira, a exemplo de Marco Antonio Vilalba, o Passoca (de quem ela regrava Sonora garoa, que encerra o disco, acompanhada apenas pelo piano de André Mehmari) e Zezinho da Viola (A velha), mas seu trunfo está em justamente não se prender a rótulos. É sublime, por exemplo, sua regravação para Bom dia, rara parceria de Nana Caymmi e Gilberto Gil. Ou para Água da minha sede (Dudu Nobre/ Roque Ferreira), em que Mônica Salmaso (voz, tambor, caxixi, palmas) é escoltada por Teco Cardoso (flautas e palmas), Nailor Proveta (clarinete), Neymar Dias (viola caipira) e Robertinho Silva (djembe, caxixi, ganzá, pandeiro e palmas).

A arregimentação é de uma sofisticação ímpar. Em Saíra (Sérgio Santos), a voz de Mônica Salmaso é emoldurada apenas pelo violão do compositor, em participação especial, e pelo piano de André Mehmari. Outra grata surpresa do disco é a regravação da trágica toada Feriado na roça, do sambista Cartola. Açude verde (Sérgio Santos/ Paulo César Pinheiro) é outro ponto alto do disco, inspirada declaração de amor: “O meu peito era o nordeste/ era de seca e peste/ era do coisa ruim/ mas o céu mudou de brilho/ chuva em pé de milho/ foi teu olho em mim/ engordurou o capim/ deu broto de alecrim”, começa a letra.

O sucessor do ótimo Corpo de baile (2014), com repertório inteiramente dedicado à parceria de Guinga e Paulo César Pinheiro, reaproxima Mônica Salmaso do Maranhão. Se a capa e encarte de Noites de gala, samba na rua (2007), seu disco dedicado ao cancioneiro de Chico Buarque, eram enfeitados por fotos da capital São Luís, neste novo disco aparece Alvoradinha, música da tradição oral das caixeiras do Divino do Maranhão.

Caipira é também o título de um álbum antológico de Rolando Boldrin, lançado em 1981, com diversos clássicos da música caipira. Apresentador de tevê e exímio contador de causos, ele é saudado no encarte como “convidado especialíssimo” em Saracura três potes (Candido Canela/ Téo Azevedo), que canta com Mônica Salmaso. Papa no assunto, abençoa seu enveredar pelo terreno. A música fala de uma ave comum em áreas alagadas do Brasil, mas se bem pensarmos, poderia mesmo estar falando da cantora: “seu canto tem a mistura/ de alegria e tristeza/ é flauta que Deus lhe deu/ pelas mãos da natureza/ à tardinha nos comove/ qual canto da Ave-maria/ muitas vezes nos encanta/ quando vem rompendo o dia”, diz trecho da letra.

*

Veja a cantora em Água da minha sede (Dudu Nobre/ Roque Ferreira):

Autor: zema ribeiro

homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais

Uma consideração sobre “Vereda afetiva”

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s