Coyote uivando em livrarias


Capa: Priscilla Buhr

Quem avisa é o amigo-editor Ademir Assunção. Eu já havia comprado as minhas no Sebo do Bac. Sim, no plural: há tempos compro, pelo menos quatro edições da Coyote: leio-coleciono uma e dou uma para a prima Érika, que formou em Letras (ainda não entreguei o número 21, o que farei junto da Pitomba). As restantes também são dadas, com uma rotatividade entre o(a)s presenteado(a)s. Ocasional. Sem critérios rígidos. Ou mesmo (pré-)estabelecidos. É minha forma de tornar a Coyote mais conhecida por aqui. Ou de (tentar) fazer um(a) ou outro(a) se interessar por poesia, literatura e essas coisas que este mundo tem insistido em dizer que são chatas ou cansativas. Bem, a quem ainda não conhece a Coyote, fica a dica.

Autor: Zema Ribeiro

Homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais. Pai do José Antonio. Apresenta o Balaio Cultural (sábados, das 13h às 15h, na Rádio Timbira AM) e o Radioletra (sábados, às 20h45, na Rádio Universidade FM). Coautor de "Chorografia do Maranhão (Pitomba!, 2018). Antifascista.

Uma consideração sobre “Coyote uivando em livrarias”

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s