EU FUI!

Após duas semanas sem aparecer no Tribuna aos domingos, falhas humanas (excesso de trabalho do blogueiro, que ficou sem tempo pra mandar coluna) e técnicas (o e-mail não funcionou), volto com o texto abaixo, suspeitíssimo.


[O ingresso para o show de lançamento em São Luís]

TRIBUNA CULTURAL
por Zema Ribeiro*

OLHO DE BOI: GILDOMAR MARINHO PARA OS (BONS) OUVIDOS DO MUNDO

Estreia do artista maranhense, recentemente lançada, traduz a multiplicidade de seu talento.

“Um olho de boi chegou lá do Maranhão” é verso que anuncia um dos mais belos discos feitos por aqui nos últimos tempos. Revelação, embora já trilhe há muito os caminhos da música, Gildomar Marinho enfim realiza merecido registro: a estreia Olho de Boi [2009, independente, R$ 15,00, à venda na Livraria Poeme-se e Chico Discos, em São Luís, ou pela internet, através do e-mail pedradecantaria@gmail.com; MySpace do artista: http://www.myspace.com/gildomarmarinho].

Engana-se redondamente – já que estamos falando em um disco – quem pensa que, seja pelo verso, seja pelo título, Olho de Boi seja apenas mais um disco de “música popular maranhense”. É música, é maranhense e espera-se que seja popular, mas não para fazer disto mero rótulo.

Equilibrando-se na ponte aérea/corda bamba entre o Maranhão e o Ceará – onde a faixa-título foi composta, falando de saudades da terra natal, e para onde recentemente voltou, por dever do ofício de bancário que cumpre no Banco do Nordeste, patrocinador de sua estreia através do programa Cultura da Gente – Gildomar Marinho apresenta um disco original, cheio das referências colhidas ao longo dos anos que amadureceram sua obra – cujo disco é pequena amostra.

Bebendo em fontes tão diversas como o bumba-meu-boi, o xote, o baião, o martelo, o tango, o funk, o hip hop, o blues, o reggae, o samba e o choro, Gildomar Marinho, licenciado em música pela Universidade Estadual do Ceará, é, ele mesmo, a unidade de seu trabalho, completamente autoral. A cantora mineira Ceumar dá o amém com sua bela voz em Alegoria de saudade, participação especialíssima gravada em Amsterdã, Holanda. Como ele mesmo anuncia em Panderê, faixa que abre o disco: “Choro, riso e canção. É dança!”

*Zema Ribeiro escreve no blogue http://zemaribeiro.blogspot.com, é parceiro de Gildomar Marinho no reggae Lembra?, assina o texto de apresentação do disco e, com Beto Nicácio (Dupla Criação), o projeto gráfico.

Autor: zema ribeiro

homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais

3 comentários em “EU FUI!”

  1. ALÔ ZEMA… to aqui olhando essa nota e ouvindo o “Olho de Boi” …quantos terços ei de rezar, só pra ver redimido o meu penar…
    é isso aí camarada..Gil é bom músico mesmo e bom amigo..vai fazer falta aqui em nosso meio…

    abraço…

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s