ESTRELANDO UM COMPOSITOR

POR ZEMA RIBEIRO*
Especial para o Alternativo

Marconi Rezende ficou mais conhecido no circuito musical ludovicense como um cover de Chico Buarque – embora seja bem mais que isso. Ouvir seu disco de estreia, Estrelando [Plano Fonográfico SECMA 2007], nos faz crer que o compositor escritor carioca se mudou para o Nordeste. Engana-se, no entanto, quem pensa que num disco autoral (todas as canções são de sua autoria), Marconi Rezende fosse ficar repetindo o ídolo. Aí reside o trunfo do artista: reprocessar as informações, não negar as referências e presentear seus ouvintes com um trabalho original, cheio de personalidade.

As letras traduzem o rebuscamento – o que nem de longe é sinônimo de hermetismo – de Marconi Rezende, artista conhecido também pela qualidade que busca imprimir a cada empreitada em que se mete. O canto límpido é acompanhado por um time de primeira linha de instrumentistas brasileiros: o próprio ao violão e arranjos, Ney Conceição (baixo, teclados e arranjos), Marcelo Bernardes (sax, clarinete, flauta e arranjos), Chiquinho Chagas (teclados e acordeon), Zé Américo Bastos (acordeon) e Mariana Bernardes (voz), entre outros.

Com ela, Marconi canta em O carnaval é assim: “é quando a ilusão termina e então/ começa um grande amor/ ou quando o amor se acaba num salão/ pra dar vez a outra ilusão”. A faixa título é derramada declaração de amor – sobram elogios à musa, que é estrela, brilhante, pepita, artista e flor – embora nos alerte também que se trata do primeiro disco de um artista, lapidado na noite, onde residem os excessos, o trabalho certamente nos apresentando o que de melhor Rezende produziu em sua carreira, paralelo aos bares e casas onde canta.

Está lançado o artista como compositor – e tem tudo para se firmar –, embora, certamente, tanto em Estrelando, o homônimo show de lançamento de seu disco de estreia, quanto em outras apresentações suas, futuras, Marconi Rezende ouvirá o coro (sobretudo feminino) do segundo fã clube mais chato do Brasil: “Toca Chico!”

[Texto publicado com pequeníssima edição (acima o original, enviado ao jornal) nO Estado do Maranhão de hoje, Caderno Alternativo, página 4]

SERVIÇO sobre o show, aqui e aqui.

Autor: zema ribeiro

homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais

2 comentários em “ESTRELANDO UM COMPOSITOR”

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s