foi bonita a festa…

São Benedito passeia por São Pantaleão

Após o tombamento do Tambor de Crioula como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro, mais de 50 grupos seguirão em cortejo pela Rua de São Pantaleão, que virou uma passarela especialmente para a festa.

por Zema Ribeiro
da Editoria de Cultura

A Rua de São Pantaleão, na divisa geográfica entre os bairros do Centro e Madre Deus, amanheceu com um clima diferente na manhã de hoje. E não somente por São Pedro ameaçar mandar água, com um rápido chuvisco que obrigaria donas de casa mais precavidas a tirar as roupas do varal.

Desde ontem, o trânsito na São Pantaleão estava interditado, da esquina do Beco das Minas (Rua Lucas e Baldez, que a Casa das Minas rebatizou) em diante, no sentido Centro-Madre Deus. Toda uma estrutura com obras de fotógrafos e artistas plásticos maranhenses ganhou a rua, fazendo dela uma imensa passarela com motivos que lembram grandes mestres do Tambor de Crioula, uma de nossas mais genuínas tradições e manifestações culturais.

Mestre Filipe, Dona Terezinha Jansen, Clemente e Apolônio, entre outros, têm seus rostos em grandes fotos que tomaram a mão dupla que conduzirá os mais de 50 grupos de Tambor de Crioula de São Luís que seguirão em cortejo da Casa das Minas até a Fábrica das Artes (Madre Deus, ao lado do Ceprama) após o registro no Livro das Formas de Expressão do tombo do Tambor de Crioula maranhense como Patrimônio Cultural imaterial brasileiro.

O tombamento se dará em solenidade que marca a 53ª. reunião do Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que em 70 anos de existência do Instituto raramente realizou cerimônias fora de sua sede no Rio de Janeiro – esta é a terceira vez que isso acontece. A reunião acontecerá às 15h, a portas fechadas, e contará, além dos conselheiros do IPHAN, com a presença de alguns convidados: o Ministro da Cultura Gilberto Gil – que anunciou que fará o percurso do cortejo descalço –, o Governador do Estado do Maranhão Jackson Lago, o Secretário de Estado da Cultura Joãozinho Ribeiro, o Presidente da Fundação Municipal de Cultura Adirson Veloso e a Prefeita Municipal de São Luís em exercício, Sandra Torres – Tadeu Palácio estará em Kazan, na Rússia, participando do Encontro Mundial da Organização das Cidades Patrimônio Mundial, representando a capital maranhense, que este ano completa dez de elevada à condição de. As autoridades serão recebidas por Dona Denil e Dona Celeste, moradoras da Casa das Minas.

Na Fábrica das Artes, onde está montado o Museu do Tambor de Crioula e há uma capela para louvores a São Benedito, santo padroeiro da festa e de seus brincantes, acontecerá um grande baile regado a fogo (para aquecer os tambores), murro (para que soem os tambores), coro (o canto de tocadores e coreiras), cores (o esvoaçar das saias das coreiras) e muita animação. O Tambor de Crioula é o décimo primeiro registro nos quatro livros de tombo do IPHAN e o primeiro maranhense. O complexo cultural do bumba-meu-boi está sendo analisado e deverá ser tombado em breve.

@

acima, texto meu para o jornal a tarde de ontem (18). os leitores do vespertino e deste blogue já devem estar de saco cheio de tanto lerem falar de tambor de crioula. tomem mais, pois: a tarde de hoje (tenta re)conta(r) a festa de ontem. coisa bonita! coisa linda! se você não era uma das aproximadamente 3 mil pessoas (de acordo com estatísticas da polícia militar) presentes, nem meu melhor texto (estou longe disso) nem minhas melhores fotografias (idem) conseguirão recontar a energia pura, vibração total, “aquilo”, simplesmente, ontem. o que era aquilo, meu são benedito?! o que era aquilo, meu deus?! coisa bonita!, coisa linda!, repito. valei-me! a festa foi linda, é o que posso dizer.

abaixo, algumas das imagens que fiz em minha tosca máquina fotográfica. mais que nunca estou convencid(íssim)o de que preciso trocá-la. as fotos abaixo não tiveram nenhum tratamento (cortes, edição ou coisa que o valha). são o que minhas lentes captaram. [fotos: zema ribeiro]


tocadores por detrás do esvoaçar das saias das coreiras


fogueiras eram acesas para “afinar” os instrumentos


multidão na porta da casa das minas, onde o conselho consultivo do iphan estava reunido


primeira aparição do ministro gilberto gil após o fim da reunião


uma coreira equilibra uma lata de brahma na cabeça (a lerdeza do fotógrafo pegou o exato instante em que ela arrumava a latinha)


enquanto outra segura a imagem do santo de devoção


multidão que lotou a fábrica das artes, onde estão instalados o museu do tambor de crioula e a capela de são benedito


observado pelo ministro gil, coral dos correios canta o hino de são luís no encerramento da solenidade; na ocasião, foram lançados selo e carimbo com temas do mais novo patrimônio cultural imaterial brasileiro


mestre felipe, um dos homenageados de ontem, comanda grande roda de tambor, saudando autoridades e todo o público presente à grande festa.

Autor: Zema Ribeiro

Homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais. Pai do José Antonio. Apresenta o Balaio Cultural (sábados, das 13h às 15h, na Rádio Timbira AM) e o Radioletra (sábados, às 20h45, na Rádio Universidade FM). Coautor de "Chorografia do Maranhão (Pitomba!, 2018). Antifascista.

2 comentários em “foi bonita a festa…”

  1. Foi de fato, um momento para nao se esquecer. Que bom que estávamos lá para testemunhar e, de certa forma, documentar. Bem, só faltou fotos minhas aí hahahahbeijps

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s