música foda brasileira

[jornal pequeno de hoje, jp turismo, primeira classe]


[reprodução da capa de pelo público]

Bom humor e finas ironias marcam “Pelo Público”, quarto disco de Carlos Careqa, inventivo nome da música (im)popular brasileira.

por Zema Ribeiro*

Zeca Baleiro, no texto de apresentação de “Pelo Público[Thanx God/Tratore, 2006, R$ 21,50], define Carlos Careqa como “punk bossa-nova” e vai além: “eu diria que o cara é foda”, encerra o texto. Careqa é tudo isso, sim. Não é fácil juntar, na mesma faixa, Talking Heads com Adoniran Barbosa.

Pelo Público” é um disco engraçado. Mas nada de facilidades, obviedades e similares. A começar pela capa. A começar pela primeira faixa, com a impagável participação especial – voz e filosofia – de Falcão, sim, o papa pop-brega.

Politicamente incorreto, Carlos Careqa faz um disco machista, mas com a sua graça: “a mulher é um pentágono / tem um lado na frente / e os demais / pelo ângulo que vemos / de um lado a gente gosta menos / de quatro a gente gosta mais”, canta em “Os cinco lados da mulher”. Em “Ser solteiro”: “solto todos os gases que quero / tiro meleca do meu nariz / se eu chegar tarde eu mesmo me espero / ah! Como eu me faço feliz!”. Refinado senso de humor, ao contrário da agressividade gratuita que tanto se ouve por aí, nos ônibus da vida.

Em “Espinha de Bacalhau”, o recado é certeiro (pena que a maioria das rádios brasileiras seja surda): “essa é uma canção / ridícula / pra tocar em FM / bobinha / se você não decorar / frívola / se você não decorar / estúpida”.

Entre bossa, samba, balada, bolero e, principalmente o etc., Carlos Careqa dá o seu recado. Dois títulos podem traduzir todo o espírito do disco – e a vontade de quem o ouve pela primeira vez de não tirá-lo mais do cd-player: “Agora é pra foder”. “O resto é pó”. Fundamental.

*correspondente para o Maranhão do site Overmundo, escreve no blogue http://zemaribeiro.blogspot.com

Autor: Zema Ribeiro

Homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais. Pai do José Antonio. Apresenta o Balaio Cultural (sábados, das 13h às 15h, na Rádio Timbira AM) e o Radioletra (sábados, às 20h45, na Rádio Universidade FM). Coautor de "Chorografia do Maranhão (Pitomba!, 2018). Antifascista.

9 comentários em “música foda brasileira”

  1. Essa capa é sensacional, assim que entrei em seu blog tomei aquele susto, já imaginando ser outra coisa a foto, mas quando desci o mouse, notei ser outra “coisa” rsrsrr…

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s