É por aí…

“Tomo meus venenos, mas não fico falando por aí que isso é bacana: sei o preço que vou pagar por isso. Minha assessora de imprensa que não me ouça – mas já tomei tudo o que você possa imaginar. Hoje meus únicos venenos são o tabaco, o café, o lorax[tranqüilizante que o “bife” ingere desde os 21 anos] e o nanquim. É hipocrisia você querer distanciar o homem de seus venenos. Precisamos falar abertamente sobre essa questão, com responsabilidade. Todos precisamos de venenos.”

Lourenço Mutarelli, em “Bife que desenha”, matéria/entrevista de Ronaldo Bressane para a Revista Trip, junho de 2001

Autor: Zema Ribeiro

Homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais. Pai do José Antonio. Apresenta o Balaio Cultural (sábados, das 13h às 15h, na Rádio Timbira AM) e o Radioletra (sábados, às 20h45, na Rádio Universidade FM). Coautor de "Chorografia do Maranhão (Pitomba!, 2018). Antifascista.

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s